Skip to content

Marketing “fora da caixa”?

Para quem faz marketing para a Web, existem várias formas de dizer as respectivas áreas de atuação. Uns chamam-lhe Marketing Digital, Digital Marketing, Internet Marketing outros Marketing Online, Web Marketing, etc, etc…

Cada um interpreta como quiser e como achar mais “bonito” mas no fundo, na realidade é tudo Marketing! O digital é uma variante do Marketing. Depois dentro do Marketing Digital temos várias subcategorias… Normalmente nas várias áreas profissionais, seja ela marketing digital ou não, existe um padrão a seguir e por isso pensar fora da caixa é importante. Mas o que é a caixa? Será que existe alguma caixa?

Marketing “dentro da caixa”

Todos os grandes profissionais do Internet marketing sempre enfatizam a importância de fazermos um certo tipo de marketing direcionado para o nosso público alvo, ou seja, divulgar os nossos produtos e serviços, ou até mesmo o nosso blog para pessoas que se interessam por termos, palavras e pesquisas (que levam a produtos e serviços) relacionadas ao nosso nicho.

As coisas funcionam desta maneira para que possamos economizar tempo e dinheiro, tentando criar uma audiência relevante e qualificada ao anunciar para pessoas que já tem algum interesse no assunto que abordamos. Acredito que esta técnica é correta, porém tem outro lado da moeda que merece ser avaliado: chega a um ponto em que vamos atingir quase sempre as mesmas pessoas.

Comentar em blogs relacionados no nosso nicho para tentar fidelizar os nossos leitores e criar uma ligação nas redes sociais com quem aparentemente tem interesse no mesmo assunto é o que todo mundo indica como sendo o correto e é o que todo mundo faz. A isto pode chamar-se “caixa”.



Algo para se pensar

Cada vez mais os utilizadores de Internet estão a crescer a cada ano que passa. O potencial de crescimento para os próximos anos é gigantesco. Isso significa que muita gente só agora é que está a ter acesso à Internet. Jovens de todas as idades, inclusive da terceira idade começam agora a  conhecer um novo mundo.

São milhões de pessoas todos os anos que entram para o mundo web e a maioria torna-se um utilizador ativo de Internet. Estas pessoas não sabem que muita coisa existe, como por exemplo, que um computador ligado à Internet pode gerar uma fonte de rendimento, conhecimento e muito mais.

Na realidade, mesmo sem considerar esta nova gama de utilizadores de Internet, já temos as pessoas que acessam apenas para fazer o básico, como ler emails, navegar em sites, participar de redes sociais e pouco mais. São milhões de pessoas que usam o computador apenas para fazer isso, sabe por quê? Porque só aprenderam isso. É triste, mas vivemos em uma sociedade alienada, que prefere fazer o que o vizinho faz do que procurar algo diferente e ter um pouco de personalidade. Aqui começa o pensar “fora da caixa”.

Marketing “fora da caixa”

O marketing “fora da caixa”, é um conceito de marketing que se baseia em inovação e vai além dos padrões. Tem como objetivo encontrar maneiras de atingir os utilizadores com poucos conhecimentos de Internet e a gama dos novos utilizadores que a cada ano entra para o mundo web.

Uma coisa não anula ou invalida a outra, ao seguir o marketing direcionado(dentro da caixa), mas se começar a pensar em como atingir outras pessoas, é quase que como um tiro no escuro sem saber se elas têm ou não interesse no seu nicho, se conhecem ou não ou até se sabem que o assunto que aborda existe mesmo.

Aqui a taxa de conversão será menor do que um marketing direcionado, mas o potencial de fidelização, provavelmente será mais alto. caso seja o primeiro a dar a conhecer algo totalmente novo, nem que seja a sua opinião sobre determinado assunto, para os seus visitantes, então eles vão sentir diferenças e ficam fiéis ao que escreve.

Às vezes “lutamos” tanto para conseguir uma boa audiência, ter tráfego qualificado, mas esquecemos de que as pessoas estão Online, estão ligados e loucas para navegar em sites e blogs interessantes. Um utilizador básico de Internet ou um novato acessa os mesmos sites sempre porque simplesmente não conhece outros e tem preguiça de pesquisar. Nem toda a gente tem essa vontade de aprender e paciência de pesquisar por horas como nós do ramo do Marketing na Internet.

Portanto aqui a solução será, pensar como eles! A ideia passa por colocar-se no lugar destas pessoas e tentar pensar como elas pensam.

Algo para se pensar mais ainda

Vamos a um exemplo; quando criamos campanhas Adwords para anunciar o blog/site, no meu caso estou a apenas no nicho do web marketing e utilizo as palavras-chave relacionadas como é óbvio! Mas vamos atingir de certeza as pessoas que já visitaram blogs e sites do mesmo tema no Google.

Mas para o nosso projeto web “sair da caixa” e tentarmos captar outros visitantes, como iremos atingir, dar a conhecer o nosso blog para aquelas pessoas que não sabem que é possível aumentarem as visitas com web marketing, mas que poderiam interessarem-se e inclusive converter em visitantes assíduos e futuros clientes se criássemos conteúdos específicos para que eles se sintam de certa forma confortáveis?

O que é certo é que estas pessoas existem e são muitas. Elas estão por ai a navegar à procura do que lhes interessa nos mesmos sites de sempre. Como chegar até elas se não sabemos quem são e do que gostam? Se existe alguma “caixa”, está na hora de a abrir e começar a pensar, escrever e criar novos interesses para este público que está “fora da caixa”!

Miguel Brandão on FacebookMiguel Brandão on FlickrMiguel Brandão on InstagramMiguel Brandão on LinkedinMiguel Brandão on TwitterMiguel Brandão on Youtube
Miguel Brandão
Miguel Brandão
Sou Miguel Brandão tenho formação académica em Marketing, Publicidade e R.P. frequentei durante 2 anos a licenciatura em Sistemas de Informação e Multimédia. Fui também estudante durante 1 semestre lectivo na Universidade de Salamanca (Espanha). Desde 2004 que trabalho Online para clientes e projetos próprios. Atualmente sou CEO da SEOlabs.pt com serviços de SEO. Sou responsável de diversos sites e blogs de diversos nichos em Portugal, Espanha, Brasil, Colômbia e Peru.