Skip to content

A espionagem no Facebook: rebentou a bomba!

Estou a escrever este artigo porque à data de hoje, todos os noticiários divulgam notícias sobre o Facebook e como os nossos dados podem fazer parte de uma rede de espionagem. Da minha parte, posso dizer que a partir do momento que criei conta e dei autorização nos termos e condições eu já sabia que isto era certinho; venderem os meus dados para outras empresas e também aproveitarem os dados que fui colocando no meu perfil para fins comerciais.

Já era de prever, o Google já o faz há muitos anos e outras plataformas também. Talvez por ser o Facebook as pessoas ficaram chocadas e nem queriam acreditar que seria possível uma coisa dessas. Imaginem até que criaram um movimento chamado: “Delete Facebook“.

Leia também o artigo: Como excluir conta do Facebook

Mas o que se passou?

Este assunto já não é novo, o fundador do WikiLeaks, Julian Assange já a alguns anos disse que o Facebook era uma máquina de espionagem. Inclusive deu uma entrevista ao site Russia Today onde diz que não é só apenas o Facebook mas sim outras empresas de Social Media que criaram interfaces específicas para as agências de inteligência. Isso só acontece porque, segundo Assange, tais empresas “cedem às pressões políticas e legais” e que também “custaria demais enviar diversos dados para as agências, então eles automatizaram o sistema”.

Assista à entrevista completa no vídeo em baixo:

O escândalo Cambridge Analytica

O Facebook começou a ficar mais apertado depois do que aconteceu com a empresa Cambridge Analytica(website oficial), em que esta trabalhou com a equipa de Donald Trump nas eleições presidenciais americanas de 2016, utilizou a informação de cerca de 50 milhões de perfis do Facebook. O objectivo era prever qual seria o sentido de votos do utilizadores na eleições.

Christopher Wylie, que trabalhou na Cambridge Analytica durante este período, assume: “aproveitámos o Facebook para recolher milhões de perfis e construímos modelos de análise para — através do que ficámos a saber sobre estas pessoas — direcionarmos conteúdos pensados nos seus maiores medos”. O antigo analista diz ainda: “a empresa foi construída com este propósito”.

Depois destas declarações, a partir daqui quem vai confiar no dados pessoais que estão nos seus perfis do Facebook? Pois é, embora isto não seja nada de novo, no entanto não existiam provas concretas que este tipo de situações aconteciam e as pessoas(usuários) ainda confiavam no Facebook.

Mais ainda…

Segundo Christopher Wylie, “O ‘Brexit’ não teria acontecido sem a Cambridge Analytica”, isto são declarações muito fortes e perigosas! Está em causa a saída do Reino Unido da União Europeia. Pode ler toda a entrevista aqui »

Foi a partir de tudo isto que o Facebook começou a abanar e as perdas em bolsa foram mesmo uma realidade, vejam no gráfico em baixo do Google Trends o interesse dos utilizadores pelo Facebook:


Informação completa deste escândalo que aconteceu com o Facebook

O Observado.pt criou numa página web os 12 pontos para ficar a saber e perceber a polémica do Facebook e da Cambridge Analytica, clique aqui »

Co-fundador do WhatsApp diz que já é tempo de eliminar/excluir a sua conta no Facebook

Então aproveite e leia este artigo: Como excluir conta do Facebook a partir de agora a decisão é sua!

Miguel Brandão on FacebookMiguel Brandão on FlickrMiguel Brandão on InstagramMiguel Brandão on LinkedinMiguel Brandão on TwitterMiguel Brandão on Youtube
Miguel Brandão
Miguel Brandão
Sou Miguel Brandão tenho formação académica em Marketing, Publicidade e R.P. frequentei durante 2 anos a licenciatura em Sistemas de Informação e Multimédia. Fui também estudante durante 1 semestre lectivo na Universidade de Salamanca (Espanha). Desde 2004 que trabalho Online para clientes e projetos próprios. Atualmente sou CEO da SEOlabs.pt com serviços de SEO. Sou responsável de diversos sites e blogs de diversos nichos em Portugal, Espanha, Brasil, Colômbia e Peru.